Exercícios de concentração

 

“Sem coragem, a vida é um caminho sem progresso.”

 

– Sri Chinmoy

“Concentração
É o sol-poder do meio-dia
Assim que vês esse sol,
O teu ser inteiro é inundado de força.
Meditação
É a paz da luz da lua
Assim que vês essa lua,
Podes sentir paz por dentro
E paz por fora.”

Sri Chinmoy

TODOS OS EXERCÍCIOS SÃO DE SRI CHINMOY

Exercício de concentração 1:

A chama no coração

Gentilmente, imagina uma chama dentro do teu coração. Por enquanto, talvez a chama seja pequena e trémula; não é uma chama poderosa. Mas um dia ela irá tornar-se, seguramente, a mais poderosa e a mais iluminante. Portanto todos os dias antes de rezares ou meditares, tenta imaginares dentro do coração uma chama, uma chama ardente. E, por favor, tenta imaginar que essa chama está a iluminar a tua mente. Não te podes concentrar como gostarias porque a tua mente não está focada. A mente está constantemente a pensar em muitas coisas. Ela tornou-se vítima de muitos pensamentos indesejáveis. A mente não tem, propriamente, iluminação, portanto imagina uma linda chama dentro do teu coração, a iluminar-te. Traz essa chama luminosa para dentro da tua mente. De seguida verás gradualmente um raio de luz dentro da tua mente. Quando a tua mente começa a iluminar-se torna-se muito, muito fácil concentrar-se durante muito tempo e mais profundamente.

Exercício de concentração 2:

Concentração: Cresce no sopro de Deus

Concentra-te na tua divindade interior. Tenta sempre sentir que estás a salvo quando estás com Deus, com a Divindade. Deixa Deus e as divinas qualidades em ti atuarem contra as tuas qualidades humanas não divinas. Quando repetes a palavra “Deus”, por favor tenta sentir o teu verdadeiro amor por Deus. Quanto te estás a concentrar, sente que estás mesmo a crescer em Deus, no autêntico sopro de Deus. Então, a tua concentração irá fazer algo por ti.


Exercício de concentração 3:

Concentra-te no coração

Se te consegues concentrar na ponta dos dedos, ou numa vela, ou em qualquer outro objecto material, também te podes concentrar no coração. Podes fechar os olhos ou olhar para uma parede, mas estás constantemente a pensar no teu coração como um querido amigo. Quando esse pensamento se torna o mais intenso, quando absorve toda a tua atenção, então foste além do pensamento ordinário e entrastes no domínio da concentração. Não podes ver fisicamente o teu coração espiritual, mas podes focar toda a tua atenção nele. Então gradualmente o poder da tua concentração entra no coração e leva-te completamente para longe do reino da mente.

Portugal_Albufeira _ 032

“O que vejo na minha meditação?
Na minha meditação vejo
O Mais-largo-que-o-mais-largo
Oceano de paz
E azul-vasto céu
Dentro do mais-pequeno-que-o-mais-pequeno
Coração.”

Sri Chinmoy

Divindade Proteção-Escudo

Um coração-rendição

Num sorriso-pureza

É a divindade imperecível

Proteção-Escudo.

– Sri Chinmoy

Sri Chinmoy

Exercício de Concentração 4:

Coloca um escudo em frente à tua testa.

Aqui, mesmo à frente da tua testa, deves sentir que tens um escudo, mesmo à tua frente. É uma proteção. Em vez de o associares à uma parte do teu corpo, como um apêndice ou órgão, deves sentir que mesmo à frente da testa existe uma capa, uma proteção. Tenta sentir que estás sempre de vigia, aqui na mente, a espreita de um ataque, do ataque de um pensamento que possa vir. Ao mesmo tempo tenta sentir, que nesse mesmo lugar tens, um escudo, uma vedação sólida. Isso é para os pensamentos que vêm de fora.

Exercício de concentração 5:

Mantém fora os inimigos.

Existem dois tipos de pensamentos: bons pensamentos e maus pensamentos. Uns são saudáveis outros não. Pensamentos não saudáveis, não divinos, são os nossos inimigos, ao passo que, bons pensamentos, pensamentos divinos, são os nossos amigos. Estamos a porta da nossa casa e alguém está a bater a porta. Devemos espreitar e ver se é um amigo ou um inimigo. Se for um amigo então deixamo-lo entrar. Se for um inimigo, não, não lhe permitiremos a entrada.

Mas a dificuldade está quando, por vezes, ao abrir apenas um pouco a porta, imediatamente o inimigo força a entrada. Neste caso, o que fazer? Não abrir a porta de todo, nem, uma frecha. Mantemos a porta trancada a partir de dentro. Os nossos verdadeiros amigos não se afastarão. Pensarão, “algo está errado com ele(a). Normalmente ele(a) é tão bom para nós. Por isso, deve haver um motivo especial pelo qual ele não abre a porta”. Eles têm unicidade simpática, pelo que esperarão indefinidamente.

Mas os nossos inimigos querem apenas nos incomodar, nos torturar e nos destruir. Eles esperarão apenas alguns minutos. Depois perderão a paciência e dirão, “é rebaixar a nossa dignidade desperdiçar o nosso tempo aqui”. Esses inimigos têm o seu orgulho. Eles dirão, “Quem se importa? Quem precisa dele(a)? Vamos embora atacar outro(a) qualquer.” Se não dermos atenção a um macaco, o macaco eventualmente se afastará para morder outra pessoa.

Mas os nossos amigos dirão. “Não, nós necessitamos dele(a) e, ele(a) necessita de nós. Esperaremos indefinidamente por ele(a)”. Depois de alguns minutos os nossos inimigos terão ido embora, poderemos então abrir a porta e os nossos amigos mais queridos estarão lá a nossa espera.

A minha concentração-vida mostra-me

A Proteção-Sebe de Deus

A minha meditação-vida de facto reconhece

A Proteção-Sebe de Deus a minha volta.

Sri Chinmoy

“Ó pensamentos meus ordinários

Ó não-divinos, não-saudáveis

E indesejáveis pensamentos,

Durante a minha meditação

Se baterem a porta da minha mente

Desta vez eu não a abrirei

Porque sei

Que irão apenas fazer mau uso

Do poder da minha meditação

Para aumentarem o vosso próprio poder.”

Sri Chinmoy

Exercício de concentração 6:

Guarda a porta.

Para controlar os teus pensamentos, sente que existe uma sala dentro da tua mente, e obviamente a sala tem uma porta. É a tua sala, portanto podes te colocar de fora, a porta da tua sala e não deixar nenhum pensamento entrar. Podes manter a sala-mente fechada a chave, e ficar em frente a porta. Já que é a tua sala, quem lá pode entrar sem a tua autorização? Mas se deixares a porta aberta, qualquer pessoa pode lá entrar e, uma vez que entra é difícil expulsa-la. Portanto cabe-te a ti impedi-la de entrar.


Exercício de concentração 7:

A ponta do polegar.

Concentra-te apenas num objeto. Para te concentrares na ponta do dedo, imagina que o dedo é a única coisa que possuis. O resto do corpo não te pertence – apenas o dedo. Se te queres concentrar na ponta do nariz, sente que apenas possuis o nariz; não possuis os teus olhos, nem as orelhas, nem a boca, nem os membros. Se começares a pensar em algo diferente, sente que estás a entrar em território alheio. Desta forma, irás desenvolver a tua capacidade de concentração.

Podes escolher a parte do corpo que te agrada mais para te concentrares, mas tenta usar a parte com qual mais te identificas. Mas não te concentres no braço, na mão ou na perna. Escolhe uma parte muito pequena do teu corpo, o olho, ou o nariz ou a ponta de um dedo. Quanto mais pequeno, melhor para a concentração.

Exercício de concentração 8:

Usa um poder superior

O motivo pelo qual és constantemente incomodado por pensamentos é porque estás a tentar meditar dentro da mente. A própria natureza da mente é acolher pensamentos –pensamentos bons, pensamentos maus, pensamentos divinos, pensamentos não divinos. Se queres controlar a mente com a tua vontade humana, é como pedir a um macaco ou a uma mosca para não nos incomodar. É da própria natureza do macaco, morder e beliscar; É da própria natureza da mosca, incomodar as pessoas.

A mente necessita de um poder superior para se manter sossegada. Esse poder superior é o poder da alma. Deves extrair de dentro do teu coração, e trazer à tona, a luz da alma. És o dono de dois espaços: o espaço do coração e o espaço da mente. Neste momento o espaço da mente é impuro, escuro e obscuro; sente-se contrariado em abrir-se para a luz. Mas o espaço do coração está sempre aberto à luz, pois é onde a alma reside. Em vez de te concentrares na propriamente dita mente, se te puderes concentrar e meditar na realidade que está dentro do coração, então essa realidade virá a tona. Depois, quando já estiveres bem ambientado dentro do coração, quando estiveres carregado com a luz da alma, nesse momento poderás entrar no espaço da mente para iluminar a mente.

exercício de concentração
exercícios de concentração

Exercício de concentração 9:

Cortar o pensamento em pedaços.

Para tornar a mente vácuo, não deves permitir que nenhum pensamento entre e tome forma. Supõe que um nome entra. Logo que a primeira letra do nome aparece, destrói o nome. Deves tornar a mente vácuo, o mais vazia possível, com o Teu poder de concentração.

Supõe que um pensamento, uma vibração ou outra coisa surja. Imediatamente dispara uma flecha e destrói-a em pedaços. Uma ideia aparece, o nome de alguém aparece, ou algum pensamento surge. Apenas despejo-o imediatamente. Não deve aparecer e permanecer na tua mente. Antes que toque a tua mente deves corta-lo em pedaços.


Exercício de concentração 10:

Luz no coração

Quando começas a tua meditação matinal, deves sentir que tens o coração e és o coração. Então, após algum tempo a tua consciência irá dizer-te onde está o coração. Nesse momento irás concentrar-te nesse ponto em particular e sentir que é o único sítio no qual te deves tornar, o coração.

Exercícios de concentração

Dica do Sukham, palestrante de meditação em Lisboa – O exercício de concentração 4, 5 ou 6 e o de meditação 4 ou 5 podem ser feitos em conjunto, um a seguir ao outro. Por vezes combinar exercícios de respiração ou concentração com um exercício de meditação proporciona ótimos resultados.

Por exemplo, com a tua concentração escudo impedes os pensamentos invasores de interferirem na tua meditação e, com a tua meditação elástica expulsas os pensamentos nocivos para fora e desfrutas do expandir interior.